Justiça Federal anula demarcação indígena no Rio Grande do Sul.
01/03/2018

Segundo informação do site do Procurador do estado do Rio Grande do Sul, Rodinei Candeia, na tarde desta quinta-feira, 01 de março, a Justiça Federal de Erechim julgou procedente a Ação Popular nº 50008542620124047117, movida contra a demarcação da Terra Indígena Passo Grande do Forquilha.

O texto publicado que consta no site do Procurador

"A Justiça Federal de Erechim julgou procedente a Ação Popular nº 50008542620124047117, movida contra a demarcação da Terra Indígena Passo Grande do Forquilha, nos municípios de Sananduva e São José do Ouro, no Rio Grande do Sul. A área foi invadida por índios da Reserva de Charrua em 2004, que alegavam ser terra tradicional. O Juiz Federal Luiz Carlos Cervi analisou as provas e concluiu que não havia posse tradicional ao tempo da Constituição de 1988, como entendeu o Supremo Tribunal Federal ao interpretar o art. 231 da Constituição Federal, e nem renitente esbulho, pois os indígenas ocuparam a área há quase cinquenta anos e nunca manifestaram intenção de voltar. O caso demonstra mais uma vez que as demarcações incitadas pelo Conselho Indigenista Missionário da Igreja Católica e promovidas pela FUNAI, com apoio incondicional do Ministério Público Federal, são inconstitucionais e causam inúmeros conflitos graves, inclusive mortes de produtores rurais."

Na publicação foi anexado um vídeo onde o Procurador fala sobre esta decisão da Justiça Federal.

Fonte: rodineicandeia.com 

Vídeo em que o Procurador fala sobre a decisão da Justiça

 

 

 

Mais Vídeos
Polícia prende homem suspeito de estuprar sete crianças
22/01/2019 - 9:17
Susto: Carreta invade canteiro no centro de Tapejara
03/01/2019 - 21:17
Agricultores passaram o Natal sem energia elétrica em Cacique Doble
26/12/2018 - 16:13
Segundo dia de Expo São João da Urtiga 2018
01/12/2018 - 17:06
Chuva ultrapassa a média de outubro
16/10/2018 - 9:15