Professores estaduais decidem encerrar greve durante assembleia em Porto Alegre
15/01/2020 - 8:06

Durante assembleia em Porto Alegre na tarde desta terça-feira (14), os professores estaduais decidiram encerrar a greve, iniciada em 18 de novembro do ano passado, totalizando 58 dias.

Foram registrados 725 votos a favor do fim da paralisação e 593 contrários.

Uma nova paralisação está marcada para o próximo dia 27, em que os professores vão avaliar o avanço das negociações com o governo.

A Secretaria Estadual de Educação informa que 37 escolas seguiam paralisadas até esta terça. Já o CPERS contabiliza em torno de 84 escolas totalmente ou parcialmente paradas, com cerca de 5 mil professores aderindo ao movimento.

Os professores haviam iniciado a greve reivindicando, entre outros pedidos, o pagamento em dia e de forma integral de salários, os reajustes salariais e realização de concursos públicos para professores e funcionários das escolas.

O grupo também é contra o pacote do Executivo que prevê, por exemplo, alterações nas carreiras dos servidores. O projeto está em discussão na Assembleia Legislativa.

A categoria não entrou em acordo com o governo. Na assembleia, os professores também deliberaram por exigir o pagamento dos dias parados, rejeitando proposta apresentada pelo governo, e pela construção de um calendário de mobilização contra o pacote de reformas.

Em janeiro, o governo havia proposto pagar em até cinco dias úteis o salário integral relativo ao tempo paralisado. O valor dos 25 dias de greve seria descontado em parcelas de até 20% ao longo dos próximos seis meses.

Fonte: G1RS

15748868225ddedda65f5ff_1574886822_3x2_md

Mais Notícias
Grave acidente envolve bombeiros na SC 480
17/01/2020 - 12:38
Patram atende denúncia em Lajeado Bonito, Sananduva
17/01/2020 - 12:21
Uergs oferta 40 vagas para o curso de Administração em Sananduva
17/01/2020 - 10:39
Brasil pode ter ondas de frio já na segunda quinzena de abril
17/01/2020 - 10:29
Barracão lança programa que oferece óculos para alunos com dificuldade visual
17/01/2020 - 7:59